Notícias

Empresários do BRICS apresentam 23 propostas para ampliar o comércio e facilitar investimentos

Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul devem fortalecer a cooperação para promover a integração comercial e o desenvolvimento econômico e social.  Esse foi o consenso da reunião do Conselho Empresarial do BRICS (CEBRICS), realizada nesta quarta-feira (13), em Brasília. No encontro, os líderes empresariais dos cinco países definiram as 23 propostas do setor privado que serão apresentadas aos chefes de Estado na Cúpula do BRICS, marcada para esta quinta-feira (14), no Palácio do Itamaraty.

“As propostas serão bem recebidas pelos chefes de Estado, pois facilitarão a integração econômica entre os países do BRICS”, afirmou o  presidente da seção brasileira do CEBRICS, Jackson Schneider, que também preside a Embraer Defesa & Segurança.

Entre as ações sugeridas pelos empresários, ele destacou o reconhecimento mútuo de operadores econômicos autorizados e a implementação do certificado fitossanitário digital. Com o reconhecimento de operadores entre os países, o processo de exportação pode ser reduzido de quatro horas para menos de uma hora e o de importação de 36 horas para menos de quatro horas.

             

“As propostas representam um avanço para a integração econômica e fortalecem a parceria na nova revolução industrial”, afirmou o presidente da seção chinesa do CEBRICS, Xu Lirong. “A facilitação do comércio entre os nossos países ajudará a África a tirar milhões de pessoas da pobreza”, disse a presidente da seção sul-africana do CEBRICS, Busi Mazuba.

Na avaliação do diretor de Desenvolvimento Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Carlos Abijaodi, o Conselho Empresarial avançou em propostas concretas e transversais que são de interesse de todos os países. “O BRICS representa quase um quarto da economia mundial, concentra quase 42% da população do mundo e representou, no ano passado, cerca de 30% das exportações brasileiras. O grupo é importante para a indústria, sobretudo do ponto de vista comercial”, avaliou Abijaodi. A CNI é responsável pela secretaria-executiva da seção brasileira do CEBRICS.

Propostas do CEBRICS

Facilitação de comércio
 
Reconhecimento mútuo de operadores econômicos autorizados
Adoção de certificado fitossanitário eletrônico
Criação de pontos focais nacionais para apoiar os investidores dos BRICS


Novo Banco de Desenvolvimento
 
Financiamento a projetos de energia limpa
Financiamento a projetos de integração energética com países fronteiriços aos membros do BRICS
Criação de um painel de especialistas em finanças em parceria com o CEBRICS


Ampliação do financiamento para as seguintes áreas
Desenvolvimento de competências técnicas e profissionais
Infraestrutura


Cooperação e adoção de melhores práticas entre os países nas seguintes áreas
 
 
Biotecnologia e normas regulatórias
Desenvolvimento de competências técnicas e profissionais
Economia digital, incluindo conectividade de áreas remotas alfabetização e educação digital, e plataformas digitais
Energia
Gestão de resíduos
Indústria 4.0
Infraestrutura, incluindo parcerias público-privadas, tecnologias avançadas e logística
Inovação
Mobilidade
Serviços e produtos de aviação


Desenvolvimento de competências técnicas e profissionais
Criação da estrutura jurídica e financeira para uma competição anual do BRICS voltada ao desenvolvimento de competências


FÓRUM EMPRESARIAL DO BRICS – A CNI organiza nesta quarta-feira (13), no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), o Fórum Empresarial do BRICS. O evento reúne 800 representantes de governo e do setor privado dos cinco países para debater três temas na agenda do bloco: comércio, infraestrutura e inovação. A CNI é a responsável pela secretaria executiva da Seção Brasileira do Conselho Empresarial do BRICS (CEBRICS). Os Chefes de Estados e Governo dos cinco países participam do encerramento.

Fonte: Portal da Indústria